domingo, janeiro 25, 2009

Sim. Nós podemos.



Chorei de emoção quando vi, pela TV, aquele negro sendo empossado no posto político mais alto do mundo. Obama não estava sozinho, além da sua família e de todos os negros presentes, ainda estavam lá Martin Luther King, Steve Biko, Nelson Mandela, Gandhi, Zumbi dos Palmares e milhares de pessoas que lutaram pela democracia racial no mundo, em todas as épocas.
Como será o governo dele, eu não sei, só sei que pior que o Bush é impossível. Para mim, a posse já foi um marco histórico por si. A Klu Klux Klan teve que se calar diante da família Obama. Os racistas nojentos estão tendo que engolir a vitória de um mestiço. E fico mais feliz ainda que a esposa de Obama também seja negra, pois aqui no Brasil, negro rico logo "compra uma loira popozuda" pra exibir por aí...

O racismo, para mim, é um dos piores preconceitos que podem existir. Julgar uma pessoa pela cor da pele é um absurdo injustificável!
Fui criada em São Paulo, onde o racismo é duro! Quando era criança, eu chorava muito quando ouvia coleguinhas me dizerem o seguinte: "minha mãe não quer que eu brinque com você, porque você é preta". Eu ouvi isso várias vezes. E só quem passou por isso sabe o que significa. E na escola, ainda tinha que aturar os apelidos: cabelo de bom-bril, cabelo de arame, dente de coelho. Logo entendi que nunca seria "bonita", então optei por estudar para "ser inteligente", na minha cabecinha de criança discriminada eu pensava assim.
Em São Paulo também é comum ouvirmos a expressão:"pessoa de cor". Que é uma maneira "elegante" da "raça pura" mencionar uma pessoa negra. Ora, que ridículo, toda pessoa tem cor, seja preto, branco, amarelo, vermelho, toda pele tem cor, depende da quantidade de melanina no corpo! De vez em quando ainda ouço "elogios" assim: "apesar da sua cor, você é muito inteligente"... Quando dou a resposta merecida, ainda há quem me chame de "mal educada"!
Sim, eu estou muito feliz pelo Obama. Chorei quando ele fez o juramento, de cabeça erguida. O processo eleitoral nos EUA é longo e massacrante e Obama venceu honestamente. Uma vitória de toda uma raça. Um marco na história mundial. Sinto-me vitoriosa também.




Cem anos depois, o Negro vive em uma ilha só de pobreza no meio de um vasto oceano de prosperidade material. Cem anos depois, o Negro ainda adoece nos cantos da sociedade americana e se encontram exilados em sua própria terra. Assim, nós viemos aqui hoje para dramatizar sua vergonhosa condição. (...) Eu digo a vocês hoje, meus amigos, que embora nós enfrentemos as dificuldades de hoje e amanhã.

Eu ainda tenho um sonho. É um sonho profundamente enraizado no sonho americano. Eu tenho um sonho que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado de sua crença - nós celebraremos estas verdades e elas serão claras para todos, que os homens são criados iguais. Eu tenho um sonho que minhas quatro pequenas crianças vão um dia viver em uma nação onde elas não serão julgadas pela cor da pele, mas pelo conteúdo de seu caráter.

Eu tenho um sonho hoje! Eu tenho um sonho que um dia, no Alabama, com seus racistas malignos, com seu governador que tem os lábios gotejando palavras de intervenção e negação; nesse justo dia no Alabama meninos negros e meninas negras poderão unir as mãos com meninos brancos e meninas brancas como irmãs e irmãos. Eu tenho um sonho hoje!

(...) E quando isto acontecer, quando nós permitimos o sino da liberdade soar, quando nós deixarmos ele soar em toda moradia e todo vilarejo, em todo estado e em toda cidade, nós poderemos acelerar aquele dia quando todas as crianças de Deus, homens pretos e homens brancos, judeus e gentios, protestantes e católicos, poderão unir mãos e cantar nas palavras do velho espírito negro: "Livre afinal, livre afinal. Agradeço ao Deus todo-poderoso, nós somos livres afinal."

4 comentários:

D.Ramírez disse...

Acho lindo o discurso do MArtin, mas estamos no seculo 21 e toda vez que leio ou escuto algo sobre a posse de Obama, não deixo de comentar oque acho disso tudo. Me desculpem os que não gostarem, é apenas meu ponto de vista. Durante toda a campanha até a posse, conclui que o mundo ainda é racista e se mostrou racista. Todos só diziam que um negro conquistou a presidencia de um pais, quando deveriam dizer sobre o Homem capaz de asumir uma presidencia. E Obama parece que é capaz. Não estou dizendo com isso que para ele isso seja importante, já que passou por milhares de preconceitos, mas digo no mundo de um modo geral. Quando se enfatiza muito a cor, para mim pé racismo, j´pa que dizem todos q nao devem citar a cor, já q somos todos iguais. E somos. Quandop será q isso sera irrelevante? Acho q hipocrisia dizer datas, já q o mundo, pra mim se mostrou racista. Torço pelo ser que Obama é que ele ira se esforçar o maximo pra fazer um bom governo, independete de sua raiz.
Besos

D.Ramírez disse...

Em tempo: Quando for a Goias, sera um imenso prazer conhecer vc, e saborear a feijoada me dada no convite;)
Caso venha a Sampa, me avise, não sei se poderia fazer o mesmo, mas almoçaremos em algum restaurante(bem coisa de paulista né?..rs) mas será bem vinda.
Obrigado pelo convite
Besitos

Marcel Cruz disse...

Valeu pela informação sobre os Beat Boys! Vou pesquisar mais a respeito.

Bjão se cuida até...


Marcel Cruz

Maria Mourão disse...

Sim é um sonho finalmente descendente africano ser presidente dos Estados Unidos.
Agora vamos aguardar para ver o que esse homem vai fazer ao pais dele e ao mundo.
Quanto a Martin Luther King esse sim era um grande ser humano.
Fatinha